Oficina de Bombeamento de Água com Energia Solar

A oficina capacitou cerca de 20 agricultores na região de Patos, na Paraíba. A ação faz parte do projeto Semiárido Solar executado pela Cáritas Brasileira em parceria com o Fórum Mudanças Climáticas e Justiça Social. O projeto aposta na energia elétrica produzida a partir de luz solar e tem agregado valores e avanços na economia e tecnologia junto às comunidades do sertão paraibano.

Projeto Rio Limpo, Cidade Saudável

Moradores da comunidade de Coqueiral, em Recife (PE) já enfrentaram sérias consequências advindas da poluição do Rio Tejipió, visto que o rio corta diversos bairros e enchentes são causadas sistematicamente pela falta de saneamento básico na região.

O Projeto Rio Limpo, Cidade Saudável nasce por meio de uma articulação entre igrejas locais, organizações de base comunitária e iniciativa privada pela mobilização social para incidência junto ao poder público, promoção de ações de educação ambiental e outras ações no enfrentamento a este sério problema socioambiental.

Terraço Verde

O Terraço Verde é um movimento que articula produtos e serviços ligados à sustentabilidade urbana, fomenta sua replicação e fortalece a economia verde. Estamos em Curitiba, transformando uma área ociosa em um local para desenvolver tecnologias sustentáveis e educação.

Banco de Sementes com Tecnologias de Acesso à Água

A boa convivência com o clima semiárido requer estocar água, sementes e todos os recursos necessários para uma vida digna. Pautadas por esse princípio, a Articulação do Semiárido – ASA e a Fundação Banco do Brasil firmaram uma parceria, em Recife, para implantar 180 bancos comunitários de sementes e 171 cisternas para armazenamento de água da chuva na região do Semiárido Brasileiro.

Gestão do território

A expansão indiscriminada da fronteira agrícola para as áreas de páramo coloca em risco o suprimento de água de toda uma população. Diante dessa situação, a comunidade de Chilco teve que mudar sua lógica na gestão territorial, limitando o acesso ao páramo e restaurando os colchões de água. Essa decisão estratégica na gestão de seu território ajudou a consolidar as economias familiares da comunidade.

Confira mais informações sobre esta prática no Almanaque do Futuro: bit.ly/2IySdUe

Projeto Horizonte Verde

Com patrocínio do Programa Petrobras Ambiental (2013-2015), foi iniciado o projeto Horizonte Verde, voltado à reconversão produtiva de áreas com agricultura “corte e queima” para agricultura de baixo carbono com a implantação e apoio a produção de mudas, manejo de agroflorestas voltadas à produção de alimentos e valorização de sementes (açaí, cumaru, pequi e castanha-do-Pará).

Clínica Ambiental – Projeto de reparação socioambiental

Na região amazônica da fronteira entre Equador e Colômbia, os problemas que atingem a população local não são menores: extrativismo petroleiro, contaminação da natureza, violência social. O sistema Wiphala da Clínica Ambiental é uma mostra fiel de que é factível mudar a realidade a partir de sua própria vida, começando processos e transformações ao seu alcance, sem ignorar ao mesmo tempo problemas de maior calibre.

Confira mais informações sobre esta prática no site do Almanaque do Futuro: https://almanaquedelfuturo.files.wordpress.com/2017/05/almanaque-del-futuro-14-web.pdf

Selo Origens Brasil

Desenvolvido pelo IMAFLORA – Instituto de Manejo e Certificação Florestal e Agrícola e pelo ISA – Instituto Socioambiental, o Selo Origens Brasil®, lançado em 2016, é um sistema de garantia que assegura a rastreabilidade da produção e relações comerciais éticas por meio de uma plataforma tecnológica de gestão da informação. Esta plataforma permite um controle interativo das informações das cadeias produtivas do território (produção, comercialização e indicadores de impacto).

Protegendo as Águas

O distrito de São Francisco Xavier está localizado na Serra da Mantiqueira e tem como seu principal rio o Rio do Peixe, também um dos principais afluentes do Rio Paraíba do Sul e prioritário dentro do Plano de Ações do Comitê das Bacias Hidrográficas do Rio Paraíba do Sul para ações de recuperação ambiental e revitalização de corpos d´água. Este Rio corta o Distrito e faz parte do dia a dia da comunidade. Contudo, com a ocupação humana desordenada, o mesmo vem sofrendo as consequências da mudança da paisagem. Antes utilizado para lazer e outras atividades, hoje já apresenta trechos poluídos (com esgoto doméstico). Assim, o projeto Protegendo as Águas pretende atuar promovendo ações de conservação e manutenção dos recursos hídricos desta microbacia.

Banco Comunitário de Sementes Crioulas

O Banco de Sementes Crioulas da comunidade Cabaceiras nasceu a partir das ações da ASA no âmbito do programa P1+2, financiado pela Fundação BB e pelo projeto de ATER, executados pelo SERTA. A cultura de guardar sementes é uma prática comum dos agricultores da localidade, porém, infelizmente, estava ficando desvalorizada, ou algumas variedades já estavam se perdendo. Além de trabalhar com o resgate das variedades, práticas de conservação e estocagem, o patrimônio histórico das sementes para a humanidade, também trabalhou-se a gestão e a construção de um banco de sementes através das práticas da bioconstrução. Toda construção foi discutida e planejada com o grupo desde a confecção dos tijolos até a pintura. Essa tecnologia foi criando forma e teve também o apoio do Programa Sementes do Semiárido.

Pacto das Águas

O Pacto das Águas promove alternativas de geração de renda às comunidades da Amazônia apoiando a estruturação das cadeias de produtos da sociobiodiversidade já utilizados pelas comunidades, assim como de outros potenciais existentes em suas terras. O Pacto desenvolve um projeto de mesmo nome, na região Noroeste de Mato Grosso e Leste de Rondônia, que tem como meta estimular e consolidar estratégias de desenvolvimento pautadas na manutenção da floresta e respeito à cultura das populações tradicionais.

Democratização do acesso à água no Semiárido

A ASA é uma rede formada por mais de três mil organizações da sociedade civil de distintas naturezas que defende, propaga e põe em prática, inclusive através de políticas públicas, o projeto político de convivência com o Semiárido e a defesa dos direitos dos povos e comunidades da região. A convivência com o Semiárido passa, primeiramente, pela defesa do direito à água. Nesta trilha, a articulação desenvolveu diversos programas de formação e mobilização, como o “Um Milhão de Cisternas”, “Uma Terra e Duas Águas”, “Cisternas nas Escolas” e “Sementes do Semiárido”.