https://globoplay.globo.com/v/8920293/

UMOJA – Moeda Solidária

Associação de Moradores de Santa Luzia

Península de Itapagipe (Salvador/Bahia)

Moradores do bairro do Uruguai, em Salvador, usam uma moeda exclusiva, a “Umoja”, que só circula no comércio local e movimenta a economia da região. O nome da moeda é de um dialeto africano e significa “estar juntos”.

Contato

Telefones: (71) 3314-2148 /

Endereço: Rua do Uruguay, Praça Santa Luzia, 18 - Quadra 05 - Bairro Uruguai

Site: https://luizamahin.wixsite.com/associacaosantaluzia

E-mails: bcdsantaluzia@gmail.com

Descrição

Localizado no bairro do Uruguai, na península itapagipana, em Salvador, o Banco Comunitário Santa Luzia é um empreendimento de moradores da região para incentivar o comércio e empreendedores locais. Para isso, foi criada uma moeda, o Umoja.

A iniciativa surgiu em 2010, como uma forma de auxiliar as famílias para dar sustentabilidade às crianças da comunidade, pensando-se assim em um processo de educação financeira e empoderamento dessas famílias.

Inicialmente, o banco atuava como uma poupança coletiva no bairro, como um caixa – onde pessoas se juntam para poupar um dinheiro que seria distribuído entre eles -, só que gerenciado pela Associação de Moradores. Com o tempo, foi se transformando em um banco de fato, com linhas de crédito acessíveis, a juros baixos e até em uma moeda própria. O banco comunitário do Uruguai é até reconhecido pelo Banco Central, que controla a emissão da moeda.

Atualmente, o Umoja já é aceito em mais de 20 empreendimentos. Quem quiser utilizar a moeda pode comprar desde calçados e confecções, até alimentação e gás. Partindo-se do princípio de que a moeda é local, faz com que as pessoas entendam que têm importância para essa economia. Com a moeda local, o comércio e os empreendimentos locais são estimulados.

A iniciativa conta também com a assessoria financeira da Universidade Federal da Bahia (Ufba) e todo o planejamento financeiro com o recurso foi feito junto com a comunidade.

Objetivos

  • Promoção de crédito popular e solidário;
  • Circulação de uma moeda social e solidária;
  • Fortalecimento da economia local;
  • Fortalecimento das competências empreendedoras dos/as comunitários/as;
  • Constituição de um Fundo Solidário.

Público-alvo

Micro e pequeno/as empreendedores/as e moradores/as em geral da península de Itapagipe.

Resultados

Em 2021, o Umoja já é aceito em 22 empreendimentos. Quem quiser utilizar a moeda pode comprar desde calçados e confecções, até alimentação e gás. Partindo do princípio de que a moeda é local, faz com que os clientes entendam que têm importância para essa economia. Com a moeda local, alguém que comprava em outros comércios distantes, agora pode comprar dentro da própria região, ao invés de se deslocar para adquirir seus insumos. Um levantamento feito pelo próprio banco mostrou que, desde o início da pandemia, a aceitação da moeda local aumentou em 60% no comércio do bairro.